Mostrando postagens com marcador Tecnologia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Tecnologia. Mostrar todas as postagens

domingo, 31 de agosto de 2014

As 42 regras indispensáveis para gestão de produtos

Escritor: Brian Lawley, Greg Cohen
Editora: Saraiva
ISBN: 9788502163133

Português
Formato: Papel
168 páginas

Sinopse original:
Aprenda as regras de gerenciamento de produto com os maiores especialistas do mundo. Um guia provocante que faz com que o leitor repense sobre sua maneira de trabalhar e de gerenciar seus produtos aplicando as 42 regras escritas por profissionais da área, professores, CEOs, vice-presidentes, blogueiros, consultores, treinadores, vendedores e engenheiros. O objetivo deste livro é expor a sabedoria e os conhecimentos desses especialistas ajudando o leitor a conquistar uma carreira de gerente de produto bem-sucedida e lucrativa.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Big Data Now: 2013 Edition

Publisher: O'Reilly
From: O'Reilly blog

English
Digital for Kindle

In Big Data Now: 2013 Edition, we pulled together our top posts from the O'Reilly Data blog from late fall 2012 through late fall 2013. In 2013, “big data” became more than just a technical term for scientists, engineers, and other technologists—the term entered the mainstream on a myriad of fronts, becoming a household word in news, business, health care, and people’s personal lives.

Posts have been divided into four main chapters:
  • Evolving Tools and Techniques: The community is constantly coming up with new tools and systems to process and manage data at scale. This chapter contains entries that cover trends and changes to the databases, tools, and techniques being used in the industry.
  • Changing Definitions: Big data is constantly coming under attack by many commentators as being an amorphous marketing term that can be bent to suit anyone’s needs. The field is still somewhat “plastic,” and new terms and ideas are affecting big data—not just in how we approach the problems to which big data is applied, but in how we think about the people involved in the process.
  • Real Data: Big data has gone from a term used by technologists to a term freely exchanged on the nightly news. Data at scale—and its benefits and drawbacks—are now a part of the culture. This chapter captures the effects of big data on real-world problems. Whether it is how big data was used to respond to Hurricane Sandy, how the Obama campaign managed to win the presidency with big data, or how data is used to devise novel solutions to real-world problems, this chapter covers it.
  • Health Care: This chapter takes a look at the intersections of health care, government, privacy, and personal health monitoring. From a sensor device that analyzes data to help veterans to Harvard’s SMARTplatform of health care apps, from the CDC’s API to genomics and genetics all the way to the Quantified Self movement, the posts in this section cover big data’s increasing role in every aspect of our health care industry.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Steve Jobs

Escritor: Walter Isaacson
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 978-85-359-1971-4

624 páginas
Português

Formato: Papel

Sinopse oficial:
O livro, baseado em mais de quarenta entrevistas com Jobs ao longo de dois anos - e entrevistas com mais de cem familiares, amigos, colegas, adversários e concorrentes -, narra a vida atribulada do empresário extremamente inventivo e de personalidade forte e polêmica, cuja paixão pela perfeição e cuja energia indomável revolucionaram seis grandes indústrias: a computação pessoal, o cinema de animação, a música, a telefonia celular, a computação em tablet e a edição digital. Numa época em que as sociedades de todo o mundo tentam construir uma economia da era digital, Jobs se destaca como o símbolo máximo da criatividade e da imaginação aplicada à prática. Embora tenha cooperado com esta obra, Jobs não pediu nenhum tipo de controle sobre o conteúdo, nem mesmo o direito de lê-lo antes de ser publicado. Não estabeleceu nenhum limite: pelo contrário, incentivou seus conhecidos a falarem com franqueza. "Fiz muitas coisas que não acho louváveis, como ter engravidado minha namorada aos 23 anos de idade e a maneira como encaminhei a questão", disse ele. "Mas não tenho nenhum segredo a esconder." Jobs fala com franqueza, e às vezes com brutalidade, sobre os companheiros de trabalho e os concorrentes. Do mesmo modo, seus amigos, inimigos e colegas apresentam um painel com as paixões, os demônios, o perfeccionismo, os desejos, o talento artístico, as manias e a obsessão controladora que formaram sua atitude empresarial e os produtos inovadores que criou. Jobs é capaz de levar à fúria e ao desespero quem está perto dele. Mas a personalidade e os produtos, assim como um hardware e um software da Apple, estão unidos num mesmo sistema integrado. Sua história é ao mesmo tempo uma lição e uma advertência, e ilustra a capacidade de inovação e de liderança, o caráter e os valores de um homem que ajudou a construir o futuro.

Por que eu li?
Foi logo após a morte de Steve Jobs. Assunto em evidência.

Minha opinião:
Apesar de todos "endeusarem" o Jobs, o livro é bem fiel aos seus defeitos e ao TOC que ele tinha. Realmente Steve Jobs era um gênio em sua época, com todos o seu lado negro, mas um gênio.

terça-feira, 23 de maio de 1995

A ESTRADA DO FUTURO

Escritor: Bill Gates
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 85-7164-509-4

347 páginas
Português
Formato: Papel

Sinopse oficial:
Uma revolução está em marcha, tão importante quanto a invenção da imprensa por Gutenberg ou a Revolução Industrial. Estamos no limiar de uma nova era tecnológica, que vai transformar a natureza da existência humana, mudando para sempre a maneira de trabalhar, estudar, comprar, escolher e relacionar- se com o mundo e as pessoas em geral. Essa é a tese que Bill Gates, o criador da Microsoft e dono de uma das maiores fortunas do mundo, defende neste livro visionário, instigante e polêmico. A estrada do futuro discute e elabora as vantagens surpreendentes e os problemas inéditos do maravilhoso mundo novo que estará globalmente integrado por meio de canais digitais de alta velocidade: a chamada estrada da informação ou infovia, ponto culminante da revolução da microinformática, de que Bill Gates foi e é um dos líderes.

Por que eu li?
Era obrigatório na minha profissão.

O que eu achei:
Quando eu li achei legalzinho, porém, relendo algumas páginas quase 20 anos depois podemos ver que o Bill realmente é um visionário. Poucas coisas ele realmente errou. Bem interessante.